Sobre nós

Curta!

Seguidores

Twitter

Siga por e-mail

Siga!

Eu leio Brasil

Pai bárbaro

Loja do leitor

Meise está lendo

Isadora está lendo

Blog Archive

Favoritos de Meise

Favoritos de Isadora

Tecnologia do Blogger.

Link us

Viciadas em Livros

Arquivo do blog

28 de maio de 2013

Resenha: O menino do pijama listrado

Autor : John Boyne
Editora: Cia. Das Letras
Páginas: 200
Edição 1
Laçamento: 2007

Sinopse:
Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os Judeus. Também não faz ideia de que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos de que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e, para além dela, centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com um frio na barriga. Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel, um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. “O Menino do Pijama Listrado” é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável.
Resenha:  Assim como “O Diárío de Anne Frank”, “O Menino do Pijama Listrado” emociona e muito. O livro é um ensinamento de amizade e inocência e 
 ofusca toda a 2º Guerra Mundial. Não é um livro contando detalhes da guerra, e sim o drama sofrido por pessoas que participava diretamente e indiretamente dela, e isso dá todo um mérito.
Bruno é um garoto de apenas nove anos, que é obrigado a partir de Berlim, sua cidade natal e que vivia desde então para um lugar deserto. A única coisa possível de ser visualizada em volta era a estrada, e ao longe uma grande cerca. Bruno queria sair dali, mas a única coisa que sabia era que o trabalho de seu pai não deixava. O pai de Bruno era um oficial alemão nazista de alta hierarquia, subordinado imediatamente a Hitler, que nunca deixava o filho saber qual o seu verdadeiro serviço.
A curiosidade de toda criança entra em cena. Bruno cansado de não fazer nada em casa, sai escondido para conhecer o que havia atrás daquela cerca distante. Lá conhece Shmuel, uma criança judia que tem a mesma idade. A amizade nascida entre eles é espontânea e essa é a principal lição do livro.
Os dialógos de "O menino do pijama listrado" são puros e inocentes, assim como a conversa de uma criança da mesma idade dos protagonistas. Juro que se eu continuar a escrever, vou acabar escrevendo spoiler. Vale a pena, se você quiser se emocionar, é claro. 

Beijos! Carol :)

5 comentários:

  1. Eu adoro essa história!!
    Na verdade, gosto de qualquer coisa que esse autor escreva. Ele é fantástico!!
    Chorei horrores!

    bjus
    terradecarol.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Ana :)

    Eu amei esse livro acho que foi o melhor que li esse ano, totalmente lindo e emocionante, beijos :D

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/ ( comenta lá :D )

    ResponderExcluir
  3. Eu adoro esse livro e, toda vez que leio, choro mesmo com o final rsrs É uma bela estória e o John Boyne consegue envolver o leitor, quero ler mais livros do autor... Ótima resenha!
    Jéssica - http://lereincrivel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá, em um desses dias estava navegando por aqui e acabei me deparando com seu blog. Que amor tudo por aqui! Já te sigo e curto muito. Se não for incomodo, tem como tirar um pouquinho do seu tempo pra visitar meu blog? Dei uma sumida, mas agora voltei a postar e vou continuar regularmente! Se gostar, segue, por favor? Desde já, agradeço. Beijos!
    P.s.: Amo esse livro!

    http://fragmentosdedezembro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Duda! Muito obrigada pelo carinho, viu? Quando tiver um tempinho irei visitar seu blog sim, pode deixar <3

      Beijos,
      Isadora.

      Excluir

A leitura é uma porta aberta para um mundo de descobertas sem fim. - Sandro Costa

Obrigada pela visita. Sinta-se a vontade para dar sugestões, fazer críticas ou elogios!