Tá perdido?

Carregando...

Sobre nós

Curta!

Seguidores

Twitter

Siga por e-mail

Siga!

Eu leio Brasil

Pai bárbaro

Loja do leitor

Meise está lendo

Isadora está lendo

Blog Archive

Favoritos de Meise

Favoritos de Isadora

Tecnologia do Blogger.

Link us

Viciadas em Livros

Arquivo do blog

6 de setembro de 2013

Diário de Viagem - Paris: primeira semana

Para a alegria de todos, aqui está o segundo diário de intercâmbio!
Já expliquei, no outro post, que contarei meu intercâmbio de férias em três posts, cada um para uma semana, e aqui está o da primeira semana... Espero que gostem! Qualquer coisa, me procurem no Twitter ou Ask!

Vôos e aeroportos: Meu primeiro voo era São Paulo > Roma, dia 29 de Junho, às 14h35... Cheguei cedo ao aeroporto de Guarulhos, fiz o check-in e comecei a entrar em pânico. Sim, pânico! Estava prestes a viajar sozinha pela primeira vez, ficar longe da minha família e encarar não só um continente diferente, mas pessoas diferentes... Me apressei para deixar meu stress longe das expressões do meu rosto, meus pais não precisavam saber que a primogênita deles estava tão aflita quanto eles ao deixar o país, então lembrei-me do sonho que estava prestes a realizar e decorei meu rosto com o sorriso mais sincero que encontrei, respirei fundo e entrei na área de embarque.
Foi tudo tranquilo na Polícia Federal, tanto no raio-x quanto no controle de passaportes, só fiquei um tempo um pouquinho maior neste por ser menor - precisaram registrar minha autorização, coisas do tipo. Não estava com paciência nem condições para free shop - não me recordo se já comentei, mas sou desastrada por natureza e minhas mãos não paravam de tremer, quebrar um Chanel Nº 5 era tudo o que eu não precisava no momento! Encontrei uma cadeira vaga - missão quase impossível para um sábado no início das férias, diga-se de passagem, e fiquei mais de uma hora lendo (Inferno, para os curiosos), quando não estava com a minha mãe no telefone. O tempo passou e já era hora de embarcar, meu assento era na janela, o que eu adorei porque poderia dormir sem problemas, e no geral o voo foi tranquilo - não que viajar durante 12 horas, de classe econômica, seja agradável, mas me diverti assistindo House e vendo o desespero de algumas pessoas durante as turbulências, já que eu as adoro... E, enfim, não consegui dormir por motivos que nem Freud explica, tomei remédios para dormir várias vezes, só que não adiantou. Mas não posso deixar de alertá-los quanto à comida: quando um italiano te perguntar se você quer lasanha ou carne, em um voo da Alitalia, responda carne! A lasanha é horrível, arghhh! 

Cheguei em Roma às 7h10, horário local, e me perdi diversas vezes no aeroporto! Ele é gigante e eu não sabia como me virar lá dentro... Tinha que ligar para os meus pais e adivinhem? Sim, a super inteligente Camille esqueceu de ligar o roaming do celular e, adivinhem de novo? Pois é, não conseguia de jeito nenhum ligar dos telefones de lá! Resumindo, por um milagre consegui WiFi e conversei por mensagem com os meus pais.
Minha conexão tinha nada mais nada menos do que 7 HORAS! E por ser menor não podia sair do aeroporto, nem mesmo para dar um oi pro Coliseu e pra Fontana de Trevi! Passada a frustração, aproveitei todas aquelas horas para comer uma pizza italiana - horrível, não consigo considerar uma massa fina, molho de tomate e uma camada sem graça de queijo um pizza decente, considerando que sou acostumada com as delícias que são as pizzas paulistanas. Depois de sete horas de tédio em Roma, finalmente descobri o portão do meu próximo voo, Roma > Paris, e agradeci à todos os deuses que me recordei por só ter mais duas horas antecedendo o destino final! 

Novamente meu assento era na janela e, finalmente, pude dormir! Nem mesmo percebi as duas horas e, quando me dei conta, já estava pousando. Peguei minhas malas e já estava fora da área de desembarque. Detalhe: não passei pela imigração em momento algum! Obviamente fiquei preocupada, já que estava contando com essa etapa em Roma, e nem mesmo no aeroporto de Paris souberam me explicar o motivo... Enfim, encontrei uma monitora da escola onde eu estudaria e, para meu desespero, ela começou a falar desenfreadamente em francês! Na época meu francês era o mais básico possível, entendia algumas palavras e falava muito pouco, mas o espanhol que também estava indo para a residência me ajudou...

Primeira semana: quando o assunto é intercâmbio, dizem que a primeira semana - ou mês, é sempre a pior! Sempre escutei essa frase e sempre fui reticente, mas é a mais pura verdade! Os fatores dependem de cada pessoa, eu por exemplo, não tenho nenhum problema de adaptação, então não sinto fuso horário, temperatura, lugar, pessoas, nadinha de nada! Me adapto com mudanças em uma rapidez que até mesmo me assusta, mas isso foi bom, porque cheguei em Paris como se já morasse lá há anos, o que deixa as coisas fluírem mais naturalmente... Porém eu não conhecia ninguém e não sabia como conseguir amigos na residência, esse foi o fator determinante para me deixar depressiva nos dois primeiros dias, depois, já com amigos e animada com o intercâmbio, não queria mais voltar para o Brasil!

Fiz o trajeto aeroporto - residência de ônibus e metrô, lembrando que o aeroporto onde eu cheguei, Orly, fica na região sul da cidade, e a residência, no centro. A cidade me conquistou por tudo o que eu já amava nela: a história contada em cada prédio antigo, cada catedral que só vira nas aulas de história da arte anteriormente, o clima parisiense que eu não consigo definir, os cafés instalados em quase todas as esquinas... Chega de falar da cidade, falaremos da residência, das pessoas e da escola!

Primeiras impressões: Eu não sou o tipo de pessoa sociável, confesso, então no primeiro dia eu passei horas sozinha no meu quarto - minha rommie ainda não tinha chegado, e só desci para jantar e assistir a palestra de apresentação. Conheci muita gente, de brasileiros a romenos, e o melhor de tudo é que todos falavam inglês! Ninguém que estava lá era muito bom em francês, então a língua oficial usada na residência era o inglês... Já terminei meu curso na língua e adorei poder treiná-la, se não fosse o inglês, eu provavelmente teria sofrido muito e ficado muito, muito, muito isolada!

Sobre a residência, minha primeira impressão foi: "Wow, isso aqui é um palácio!" Porque ela é muito grande mesmo e eu demorei alguns dias para decorar todos os corredores, escadas e salas! É maravilhosa, e eu, como boa admiradora de construções histórias, não poderia ter ficado em lugar melhor! Mas como nem tudo são flores... Na minha primeira noite o alarme de incêndio tocou. Tocou de madrugada, quando eu só queria descansar do dia anterior, marcado por aeroportos, aviões e stress. Como se não bastasse, tocou duas vezes e me fez sair do quarto de pijamas, óculos - eu uso lentes, hahaha, cabelo preso e a cara de sono característica, o único consolo era que todos estavam na mesma situação. 


Na segunda, o primeiro dia de aula era na verdade apenas para o teste de nivelamento, e eu estava ainda mais nervosa do que no dia anterior, já que tudo o que sabia de francês havia aprendido sozinha - sim, eu estudo francês sozinha até hoje, e costumo ser insegura para esse tipo de coisa! Resumindo, fui mal no teste escrito e razoavelmente bem no teste oral, já que eu conseguia entender o que me era perguntado, só não formulava muito bem as frases. Caí em uma sala com mais algumas pessoas que eu já conhecia, o que foi bom, e o curioso é que minha primeira professora se chamava Bahia! As aulas começavam às 09h e das 10:30 às 10:45 tínhamos um intervalo, depois, aula até o meio dia. 
Isso é basicamente tudo em relação à escola e residência, contando que eu estava um tanto quanto depressiva e homesick na primeira semana, preferia ficar no meu quarto falando com os meus pais, nos horários de atividades, a interagir com as outras pessoas do grupo.
Aos poucos fui fazendo algumas amizades, ficava basicamente com as espanholas, e meus anos de espanhol no colégio me ajudaram muito! Conseguia compreender tudo o que elas falavam e, de vez em quando, me arriscava a falar também.

Passeios: agora sim temos a parte realmente interessante: os passeios! 
Mas, para explicar os passeios, preciso explicar outra coisa antes... Haviam dois grupos diferentes na residência: o de quem ficaria duas semanas, e o de quem ficaria três, como eu, então, alguns passeios eram diferentes, ou seja, não era sempre saíamos com as mesmas pessoas.
Enfim, na segunda o passeio foi para o Musée du Parfum - Fragonard, Galeries Lafayette e Opera Garnier!
Fomos de metrô até a área que concentra os três, passamos pela Opera - não entramos, infelizmente, fomos até o museu e depois tínhamos algumas horas livres na Galeries.

01/07/2013

Opera Garnier: incrível, cada detalhe me ganhou no primeiro minuto! Queria, de coração, ter entrado, mas já que só pudemos admirá-la por fora...
Musée do Parfum - Fragonard: a mansão maravilhosa é cenário para uma linha do tempo da história do perfume, muito interessante, conta com os primeiros instrumentos e materiais utilizados, essências e muito mais! 



Galeries Lafayette: luxo, ostentação, grifes renomadas, turistas e aqueles que não se importam com os altos preços registrados nas etiquetas preenchem a galeria! Linda e com detalhes que impressionam qualquer um, ao mesmo tempo consegue ser ponto turístico e centro de compras dos parisienses. Mas sim, é possível gastar na galeria e não estourar o limite dos cartões, várias lojas podem ser consideradas populares e o mês de Julho é mês de liquidações!
Mas, para mim, o melhor da Galeries é o seu terraço! Instalado no sétimo andar do prédio, tem uma vista deslumbrante de Paris... É um ótimo lugar para descansar, compre um croissant, um macarron e encontre um espaço na grama sintética para admirar a cidade! Com vista privilegiada para a Opera, também podemos ver vários pontos turísticos da cidade, como a Torre Eiffel. Dentre os três lugares descritos, o que mais me encantou foi o terraço da galeria, sem sombra de dúvidas!



Voltamos para a residência, novamente de metrô, jantamos e então tínhamos atividade noturna - lembrando que, no verão europeu, em muitos países só começa a escurecer depois das 22h, o que foi muito estranho para mim! A atividade era conseguir lembrar o maior número de capitais de países, comidas, cidades francesas, animais, essas coisas... Voltamos para os quartos e às 23h deveríamos estar TODOS nos quartos, sem desculpas. Algumas horas depois veio o alarme, alarme infernal, ensurdecedor, irritante, causador de mau humor no dia seguinte... Para nada! Não havia sequer uma pequena fumaça para indicar fogo! Enfim, todos voltaram para os quartos, já que às 8h deveríamos estar no café da manhã.

02/07/2013

Depois da aula e do almoço, era dia de visitar o Latin Quarter! Região bem central de Paris, é caracterizada pelas faculdades - como a Sorbonne, fundada em 1200, e pela arquitetura impecável! Sim, leitores de Anna e o Beijo Francês, essa é a região onde a Anna ficou!
Novamente de metrô, descemos na estação próxima a fonte de Saint-Michel.
Depois de andarmos por todo o Boulevard Saint Germain - já devo adiantar que é minha região favorita de toda Paris, nenhum outro lugar me ganhou como este, fomos ao Jardim de Luxemburgo descansar e comer croissant! O jardim e o palácio são maravilhosos, a vontade é de pegar um livro na bolsa e passar o resto do dia ali, admirando as belas flores e os detalhes do palácio.



Já estávamos todos cansados no final da tarde, mas ainda restava uma construção para visitar... A Catedral de Notre Dame! Me conquistou desde o primeiro segundo, estava em sua frente e não conseguia acreditar! Ela é linda por fora e por dentro, seus vitrais e todas as características do estilo gótico tiram o fôlego de qualquer um, acho que é impossível não se apaixonar por ela!


Catedral de Notre Dame: não sei descrever minha paixão por essa catedral, todos os detalhes de
 mais de 800 anos atrás me deixaram, literalmente, sem palavras.

Cansados e sem mais fôlego, voltamos para a residência e, dessa vez, não desci para as atividades noturnas, só queria descansar para o próximo dia!

04/07/2013

Quarta foi dia de atividades na residência, então aproveitei o tempo livre para falar com a minha família e atualizá-los quanto as fotos, além de descansar meus pés pouco cansados do dia anterior!

Quinta fomos ao Arco do Triunfo, Champs Elysées, Place de la Concorde, Pont Alexandre III, Grand Palais e Petit Palais.
Saímos da estação de metrô e o Arco do Triunfo já estava a nossa frente, é emocionante ver o monumento sair dos livros de história e crescer aos seus olhos! Sobre a Champs Elysées, tenho que concordar que é a avenida mais linda do mundo, mas ela está bem longe de ser meu lugar favorito da cidade! As calçadas são tão cheias quanto as lojas, acho que seu charme fica escondido em meio ao caráter turístico...



Depois de duas horas de compras, nos encontramos novamente, desta vez passamos pelo Grand Palais e o Petit Palais e chegamos até a Ponte Alexandre III, linda e com uma bela visão da avenida! Tiramos fotos e seguimos para a praça da Concórdia, depois era hora de enfrentar o metrô e descansar, meus pés não estavam mais aguentando o ritmo, devo dizer...

Grand Palais

05/07/2013

Sexta foi dia de... Compras! Diversão! Eu definitivamente precisava comprar roupas, já que levei poucas e já estava ficando sem!
O destino foi a Rue de Rivoli, enorme e cheia de lojas ótimas - H&M, Zara, Stradivarius, Mango, Oysho, etc. Aproveitamos para conhecer o Hôtel de Ville! Dica: vão ao BHV - Bazar de l'Hôtel de Ville, uma grande loja de departamentos - parecida com a Galeries Lafayette, e com lojas super fofas!

Hôtel de Ville

06/07/2013

Nos sábados os passeios duravam o dia todo, o destino da vez era a Torre Eiffel, Champs Elysées e um cruzeiro pelo Sena!
A torre é imponente e você fica de boca aberta com a sua altura e não acredita que não é mais uma foto que você está admirando, incrível!



O dia estava quente - como foi durante toda a viagem, e ficar meia hora na fila da Torre foi muito desgastante, além de me deixar super vermelha! Enfim, como se o cansaço já não estivesse me dominando, descobri que subiríamos até o segundo andar de escada! Não sou o tipo de pessoa atlética e sofri muito, muito mesmo com todos aqueles degraus! Cheguei ofegante ao primeiro andar e minha garrafa d'água já estava vazia, não sabia de onde tiraria forças para subir mais vários lances de escada! Mas tirei e subi! A vista é maravilhosa e compensa as dores que minhas pernas já nem sentiam mais... Depois de meia hora descemos para um piquenique na Champs de Mars.

Vista do segundo andar da Torre.

Nosso próximo passeio era um cruzeiro pelo Rio Sena! Passamos por todos os pontos turísticos, mas o melhor de tudo foi poder ficar sentadinha e na sombra!

Musée d'Orsay visto do barco

Mas o dia ainda não tinha acabado... O próximo destino era, novamente, a Champs Elysées, mas como eu e meus amigos não tínhamos mais condições para compras, paramos no McDonald's até que, finalmente, pudemos voltar para a residência!

O Domingo (07/07/2013) foi dia livre, livre para que eu e a Marina, minha roomie, arrumássemos a bagunça que estava o nosso quarto...

Resumo da semana: A escola era a mesma coisa todos os dias, apesar das aulas interativas e que realmente faziam com que os alunos aprendessem, não deixavam de ser as horas mais desinteressantes do dia, né?
Sobre o idioma, depois de dois dias na França eu já estava acostumada com a língua, mas mesmo assim, durante toda a primeira semana, meu pensamento era "Eu nunca vou aprender isso direito e eu nunca, nunca nunca, vou conseguir falar isso", mas isso tudo muda nas próximas semanas...
O choque cultural foi grande, por mais que eu não tenha problemas com isso, a educação impecável dos franceses não me era familiar. Por exemplo, por mais que o metrô estivesse lotado, era raro alguém encostar em você, e se encostasse, pedia desculpas até a próxima estação! Não havia tumulto na hora de sair do trem e era tudo muito bem organizado. Mas há a frieza... Sim, quando falam que você nunca encontrará pessoas como os brasileiros em qualquer outro lugar do mundo, é a mais pura verdade! Mas não confundam a frieza com grosseira, muito pelo contrário, fui bem tratada em todas as ocasiões... Porém, descobri que sim, franceses falam inglês sem problema algum! Pelo menos na minha experiência, não se recusaram a falar em inglês comigo em nenhuma oportunidade e, confesso, na primeira semana estava com muito medo de ser mau tratada por não falar muito bem o francês...
Aos poucos fui fazendo amizades e logo já falava com todo mundo na residência, por mais que ficasse mais com as espanholas, e conhecer outras culturas foi muito mais do que maravilhoso! Uma coisa que a minha agente disse na reunião pré-embarque foi: "Quem faz intercâmbio não conhece só a cultura do lugar aonde vai, mas sim a de vários países... E, o mais importante, é ter em mente que você também está levando a cultura brasileira para o mundo!" E eu tenho certeza que conhecer tantas tradições diferentes, e levar as nossas para o mundo, são as coisas que estão no topo das melhores desse intercâmbio!

Dicas: 
-Não saiam do Brasil, sozinhos, sem saber falar no mínimo inglês! De verdade, se não fosse o inglês e o espanhol, não sei como teria me virado por lá... É claro, mímicas e guias de conversação podem ajudar, mas nada como conseguir se comunicar sem problemas, não é?
-Andem de metrô em Paris! As estações, em sua grande maioria, não são muito bonitas, mas o transporte público na cidade funciona muito bem, e isso é um diferencial e tanto para viajantes brasileiros... Você pode ir para qualquer lugar de metrô ou trem!
-Fale! Se for viajar sozinho, não espere que os outros venham falar com você, esqueça a vergonha e fale com as pessoas, com amigos a viagem fica muito mais divertida!

Bom, é isso! Espero que tenham gostado, na próxima semana tem o terceiro diário, sobre a segunda semana!


Tirando a foto da Foundation Eugène Napoleón, todas as fotos são de minha autoria.

7 comentários:

  1. Oi Camille :)

    Nossa supeeeer legal seu diário de viagem hahaha, adorei você contando o que você passou por lá realmente as vezes a desorganização é tanta que ficamos estressados, amei as fotos e fiquei morrendo de vontade de correr para Paris, aproveite bastante viu, beijocas !!!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Gente, Paris, que sonho! Amei seu diário de viagem, muito legal você contar em detalhes o que aconteceu, e as fotos ficaram tão meigas, mas acho difícil não ficarem, afinal é Paris haha. (:

    Gloria, Leitura e Pipoca.
    http://leituraepipoca.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Nossa,Paris *-* que coisa mais linda, espero um dia conhecer essa cidade lindaaa. Amei seu diário de viagem,aproveite muiiito,um xêro.

    ResponderExcluir
  4. Confesso que eu não era muito chegada a Paris por culpa de que todos amam lá ai eu como sou do contra preferi escolher a Itália, mais a matéria me encantou ficou divina com muita riqueza em detalhes e eu também sou fã da arquitetura antiga principalmente as greco romanas que são tão ricas em cultura, serio que tu comeu a pizza de lá eu já provei e é horrível ao meu paladar muito seca e com pouco tempero (a minha foi também no aeroporto já que meu pai não qui sair sendo que meu sonho e estar lá passeando nas ruas da Grécia e imaginando como deveria ser antigamente). Adorei muito lá eu a unica coisa que vi foi o museu do Louvre e a pirâmide que é linda.
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  5. Paris deve ser lindo mesmo!
    E em todo lugar tem coisas não muito agradáveis como o metrô que você citou, mas acho que compensa pela beleza da cidade.(:

    ResponderExcluir
  6. Ai, que máximo fazer intercâmbio na França! Eu visitei Paris duas vezes e amei a cidade! O pessoal realmente fala que os franceses não são educados, mas descobri que se você falar um mínimo de francês com eles (nem que seja para perguntar se eles falam inglês), eles já ficam bem educados!
    Eu quero muito passar um tempo maior na França estudando o francês! Acho a língua muito bonita e quero aprender e melhorar o idioma!
    Beijos,
    Own Mine

    ResponderExcluir
  7. Que leegal fazer intercâmbio. Eu queria tanto! Pretendo fazer um em 2014 ou 2015 *-*
    Como assim se divertindo com as turbulências? kkkkk Eu acho que entraria em pânico!
    Torre Eiffel é tão linda meesmo. Um dia ainda vou conhecer de pertinho.
    Adorei as dicaas de viagem :D

    ResponderExcluir

A leitura é uma porta aberta para um mundo de descobertas sem fim. - Sandro Costa

Obrigada pela visita. Sinta-se a vontade para dar sugestões, fazer críticas ou elogios!