Sobre nós

Seguidores

Curta!

Instagram

Twitter

Siga por e-mail

Eu leio Brasil

Meise está lendo

Isadora está lendo

Tecnologia do Blogger.

Link us

Viciadas em Livros

Arquivo do blog

17 de agosto de 2017

Resenha: A mulher do viajante no tempo


Resultado de imagem para a mulher do viajante no tempo


Título: A mulher do viajante no tempo
Autor (a): Audrey Niffenegger
Editora: Suma das Letras
Páginas: 456
Ano: 2009

Sinopse: "Henry sofre de um distúrbio genético raro. De tempos em tempos, seu relógio biológico dá uma guinada para frente ou para trás, e ele se vê viajando no tempo, levado a momentos emocionalmente importantes de sua vida tanto no passado quanto no futuro. Causados por acontecimentos estressantes, os deslocamentos são imprevisíveis e Henry é incapaz de controlá-los. A cada viagem, ele tem uma idade diferente e precisa se readaptar mais uma vez à própria vida. E Clare, para quem o tempo passa normalmente, tem de aprender a conviver com a ausência de Henry e com o caráter inusitado de sua relação."
      

Odeio estar onde ela não está, quando não está. No entanto, vivo partindo, e ela não pode vir atrás."
 É difícil ficar para trás. Espero Henry, sem saber dele, me pergunto se está bem. É difícil ser quem fica. Mantenho-me ocupada. Assim, o tempo passa mais depressa."

   Comecei a resenha com dois quotes do livro, para que vocês percebam que há dois lados na história desse livro. Há o lado de quem vai e o lado quem fica. O lado de Henry – quem vai –, e o lado de Clare – quem fica.
   Henry e Clare são casados. Almejam as mesmas ambições que qualquer casal jovem depois que casa planeja: ter filhos, estabilidade financeira e uma vida tranquila. Poderia ser fácil alcançar tudo isso, não fosse por um detalhe: Henry é um viajante no tempo.
   Henry viaja pelo tempo. Herdou essa característica; são falhas nos seus genes e isso o faz viajar tanto para o futuro quanto para o passado. Foi desse jeito desde que ele era criança e teve que aprender a lidar com isso. Foi desse jeito que ele conheceu Clare e que ela o conheceu; ele já era adulto, e ela, uma menininha de apenas 6 anos. Os encontros aconteciam na "clareira", uma parte afastada da casa da menina, onde ela gostava de brincar sozinha. Lá, Henry brincava, ensinava e contava histórias para uma Clare criança, uma Clare pré-adolescente, e uma Clare adolescente. Foi desse jeito que Clare se apaixonou por ele e que ele contou tudo a ela. Contou que ia sumir da vida dela por dois anos depois que ela completasse 18 anos, e que então eles iriam se encontrar no presente dele (e dela também), e se casariam. Desde então, Clare viveu sua vida na expectativa de encontrar Henry.

Quando eu era muito pequena, achava que você fosse um anjo; te fiz um monte de perguntas sobre Deus. Quando eu era adolescente, tentei te convencer a fazer amor comigo. Como nunca aceitava, me deixava ainda mais determinada a conseguir o que eu queria."

   As viagens de Henry acontecem em momentos estressantes, sem aviso prévio e duram de minutos a horas. Ele não controla para onde vai, chega ao local sem roupa e nunca consegue levar nada consigo quando retorna.
   Confesso que no começo do livro fiquei super perdida com as datas e as idades dos personagens, porque ele é contado sob a perspectiva de Henry e também de Clare, então as datas vivem se alternando entre passado/presente/futuro, e na metade do livro para o fim, você consegue perceber o por quê de a autora ter feito desse jeito. Tudo se encaixa e é emocionante.
   A narrativa é pesada, rica em detalhes e confesso que me prendeu, porque eu queria saber o que ia acontecer na vida dos dois, eu queria saber se Henry ia conseguir se curar, se eles iam conseguir ter um filho, se iam ser felizes. 
   A construção dos personagens e o desafio de viver um amor tão profundo da maneira que vivem é impressionante. Eu nunca ia conseguir ser a Clare na vida de um Henry; nunca ia conseguir viver uma vida onde ao mesmo tempo que estou com meu marido, não estou. Henry "some" nos momentos mais inusitados. E ele odeia isso profundamente. Sempre odiou. 
   No livro conhecemos um pouco sobre a mãe de Henry (que faleceu em um acidente), seu pai, Kimy (uma vizinha querida da infância de Henry), toda a família de Clare e seus amigos mais queridos. É difícil imaginar como deve ser para Henry ficar sempre revivendo o que já passou, momentos ruins que ele gostaria de esquecer e momentos bons que realmente mereciam bis. 
   É um livro sobre a vida, sobre escolhas, e sobre como não podemos mudar o passado, por mais que quiséssemos. Um livro que conta sobre a força do amor, que nos emociona com a tentativa de renascimento constante, nos cativa com a alegria apesar das dores. Henry vive, revive, sobrevive. Henry vai e volta. Clare fica. Clare espera, paciente, pela volta do seu amado. Clare ajuda Henry quando ele volta pra casa todo ensanguentado, ou chorando, ou com medo, ou em choque. Clare aprende. É Clare quem ama seu Henry desde os 6 anos, Clare quem enfrenta tudo e desaba poucas vezes.
- Você sente falta dele alguma vez? – ela me pergunta.
- Todos os dias. A cada minuto.
- A cada minuto – ela diz. – Sim. O amor é assim, não é? – Ela vira de lado e afunda no travesseiro"

   Eu sei que tem um filme baseado no livro, vou deixar o trailer aqui, embora vale ressaltar minha sincera opinião se você se interessou pelo livro: leia-o antes e não assista o trailer porque contém muitos spoilers hahahhah.







15 de agosto de 2017

5 livros que quero ler até 2017 acabar

Oi, gente! Tudo bom?

Hoje vim compartilhar com vocês alguns dos livros que estou desejando desesperadamente e que quero (e vou, espero eu) ler até o fim de 2017.  


Ninguém nasce herói - Eric Novello
Num futuro em que o Brasil é liderado por um fundamentalista religioso, o Escolhido, o simples ato de distribuir livros na rua é visto como rebeldia. Esse foi o jeito que Chuvisco encontrou para resistir e tentar mudar a sua realidade, um pouquinho que seja: ele e os amigos entregam exemplares proibidos pelo governo a quem passa pela praça Roosevelt, no centro de São Paulo, sempre atentos para o caso de algum policial aparecer. Outro perigo que precisam enfrentar enquanto tentam viver sua juventude são as milícias urbanas, como a Guarda Branca: seus integrantes perseguem diversas minorias, incentivados pelo governo. É esse grupo que Chuvisco encontra espancando um garoto nos arredores da rua Augusta. A situação obriga o jovem a agir como um verdadeiro super-herói para tentar ajudá-lo — e esse é só o começo. Aos poucos, Chuvisco percebe que terá de fazer mais do que apenas distribuir livros se quiser mudar seu futuro e o do país. 

Quinze Dias - Vitor Martins
Felipe está esperando por esse momento desde que as aulas começaram: o início das férias de julho. Finalmente ele vai poder passar alguns dias longe da escola e dos colegas que o maltratam. Os planos envolvem se afundar nos episódios atrasados de suas séries favoritas, colocar a leitura em dia e aprender com tutoriais no YouTube coisas novas que ele nunca vai colocar em prática. 
Mas as coisas fogem um pouco do controle quando a mãe de Felipe informa que concordou em hospedar Caio, o vizinho do 57, por longos quinze dias, enquanto os pais dele estão viajando. Felipe entra em desespero porque a) Caio foi sua primeira paixãozinha na infância (e existe uma grande possibilidade dessa paixão não ter passado até hoje) e b) Felipe coleciona uma lista infinita de inseguranças e não tem a menor ideia de como interagir com o vizinho. 
Os dias que prometiam paz, tranquilidade e maratonas épicas de Netflix acabam trazendo um turbilhão de sentimentos, que obrigarão Felipe a mergulhar em todas as questões mal resolvidas que ele tem consigo mesmo.

Quando escolheram por mim - Lauren Miller
E se existisse um aplicativo capaz de dizer o que lhe faria feliz? Qual roupa vestir. Com quem sair. Em qual escola estudar. Um aplicativo capaz de tomar todas as decisões que surgissem? E se você nunca precisasse falhar? Ou fazer a escolha errada?
Essa é a realidade na qual vive Rory Vaughn, uma jovem de 16 anos com um futuro promissor: ela acabou de ser aceita em uma exigente escola preparatória. Mas tudo está prestes a mudar, pois alguma coisa parece estranha por trás das aparências da escola de elite.
É quando Rory começa a se envolver com North, um charmoso garoto morador das redondezas que insiste em não obedecer ao Lux. Logo, Rory passa a não seguir mais os conselhos do aplicativo e a ouvir a temida voz interior que foi ensinada a ignorar – uma escolha que capaz de mudar a maneira como enxerga toda a realidade.

Os 12 signos de Valentina - Ray Tavares
Isadora é ariana e seu ex namorado pisciano... Inferno astral! Em busca da combinação astrológica perfeita, ela cria um blog para relatar suas experiências. Isadora descobriu da pior forma possível que o namorado a traíra. E com sua melhor amiga, ainda por cima! A estudante de jornalismo entra numa fossa sem fim. Sem nenhum estágio à vista, ela se afoga em filmes feitos para chorar, pizza e em sua mais nova obsessão: stalkear o perfil do ex namorado no Facebook. Até descobrir exatamente o que deu errado entre ela e Lucas: seus signos são incompatíveis. Basta encontrar um rapaz de libra e seu mundo entrará nos eixos novamente. Com a nova obsessão e a desculpa do trabalho final de jornalismo online, uma reportagem investigativa sob um pseudônimo, Isadora une o útil ao agradável e cria um blog para relatar a experiência: Os 12 signos de Valentina. Já que precisa encontrar o libriano perfeito, por que não aproveita e experimenta os outros signos do zodíaco para ter certeza mesmo?

O ódio que você semeia - Angie Thomas
Uma história juvenil repleta de choques de realidade. Um livro necessário em tempos tão cruéis e extremos. Starr aprendeu com os pais, ainda muito nova, como uma pessoa negra deve se comportar na frente de um policial. Não faça movimentos bruscos. Deixe sempre as mãos à mostra. Só fale quando te perguntarem algo.  Seja obediente. Quando ela e seu amigo, Khalil, são parados por uma viatura, tudo o que Starr espera é que Khalil também conheça essas regras. Um movimento errado, uma suposição e os tiros disparam. De repente o amigo de infância da garota está no chão, coberto de sangue. Morto. Em luto, indignada com a injustiça tão explícita que presenciou e vivendo em duas realidades tão distintas (durante o dia, estuda numa escola cara, com colegas brancos e muito ricos - no fim da aula, volta para seu bairro, periférico e negro, um gueto dominado pelas gangues e oprimido pela polícia), Starr precisa descobrir a sua voz. Precisa decidir o que fazer com o triste poder que recebeu ao ser a única testemunha de um crime que pode ter um desfecho tão injusto como seu início.Acima de tudo Starr precisa fazer a coisa certa.Angie Thomas, numa narrativa muito dinâmica, divertida, mas ainda assim, direta e firme, fala de racismo de uma forma nova para jovens leitores. Este é um livro que não se pode ignorar.
É isso, pessoal! Vocês já leram/querem ler algum dos livros citados acima? E quais livros estão na wishlist de vocês para o restante desse ano?

13 de agosto de 2017

Netflix: filmes baseados em livros

Olá, pessoal! Eu sou uma pessoa que gosta bastante de ler um livro e, se tiver um filme baseado no livro, eu gosto de assistir para comparar... coisa de leitor chatinho mesmo heheh. Resolvi fazer esse post falando sobre os filmes que têm na netflix e que são baseados em livros. Vamos lá!
  • Eu sou o número quatro:
Resultado de imagem para filme eu sou o numero quatro
Nove alienígenas fugiram do planeta Lorien, onde eram conhecidos por números, para se esconder na Terra. O objetivo era se esconder dos Mogadorians, inimigos que precisam eliminar todos eles - e na ordem certa - para que poderes especiais não possam ser usados contra eles no futuro. A caçada já começou e os números Um, Dois e Três já foram assassinados. O número Quatro vive disfarçado entre os humanos, como John Smith (Alex Pettyfer), ajudado por seu protetor Henri (Timothy Olyphant) na tranquila cidade de Paradise, em Ohio. Enquanto descobre seus novos poderes, Smith conhece a estudante Sarah Hart (Dianna Agron) e se apaixona por ela, colocando em risco a vida de ambos e o futuro de sua raça, porque o inimigo já o localizou. A sua sorte é que a número Seis (Teresa Palmer) também o encontrou e ela pode ajudar na batalha.
  • Clube da luta:
Resultado de imagem para clube da lutaJack (Edward Norton) é um executivo jovem, trabalha como investigador de seguros, mora confortavelmente, mas ele está ficando cada vez mais insatisfeito com sua vida medíocre. Para piorar ele está enfrentando uma terrível crise de insônia, até que encontra uma cura inusitada para o sua falta de sono ao frequentar grupos de auto-ajuda. Nesses encontros ele passa a conviver com pessoas problemáticas como a viciada Marla Singer (Helena Bonham Carter) e a conhecer estranhos como Tyler Durden (Brad Pitt). Misterioso e cheio de ideias, Tyler apresenta para Jack um grupo secreto que se encontra para extravasar suas angústias e tensões através de violentos combates corporais.
  • Um dia:
Resultado de imagem para um dia filme
Emma (Anne Hathaway) e Dexter (Jim Sturgess) se conheceram na faculdade, em 15 de julho. Esta data serve de base para acompanhar a vida deles ao longo de 20 anos. Neste período Emma enfrenta dificuldades para ser bem sucedida na carreira, enquanto Dexter consegue sucesso fácil, tanto no trabalho quanto com as mulheres. A vida de ambos passa por várias outras pessoas, mas sempre está, de alguma forma, interligada.
  • Nick & Norah: uma noite de amor e música: 
Resultado de imagem para nick e norah uma noite de amor e músicaNick (Michael Cera), recém-separado de Tris (Alexis Dziena), se choca ao vê-la com um novo acompanhante. Junto com a amiga Norah (Kat Dennings) ele tem uma noite de busca, mentira, confusão, surpresa e muita música em Manhattan.
  • O lado bom da vida: 
Resultado de imagem para o lado bom da vida
Por conta de algumas atitudes erradas que deixaram as pessoas de seu trabalho assustadas, Pat Solitano Jr. (Bradley Cooper) perdeu quase tudo na vida: sua casa, o emprego e o casamento. Depois de passar um tempo internado em um sanatório, ele acaba saindo de lá para voltar a morar com os pais. Decidido a reconstruir sua vida, ele acredita ser possível passar por cima de todos os problemas do passado recente e até reconquistar a ex-esposa. Embora seu temperamento ainda inspire cuidados, um casal amigo o convida para jantar e nesta noite ele conhece Tiffany (Jennifer Lawrence), uma mulher também problemática que poderá provocar mudanças significativas em seus planos futuros.
  • As vantagens de ser invisível:
Resultado de imagem para as vantagens de ser invisívelCharlie (Logan Lerman) é um jovem que tem dificuldades para interagir em sua nova escola. Com os nervos à flor da pele, ele se sente deslocado no ambiente. Sua professora de literatura, no entanto, acredita nele e o vê como um gênio. Mas Charlie continua a pensar pouco de si... até o dia em que dois amigos, Patrick (Ezra Miller) e Sam (Emma Watson), passam a andar com ele.





11 de agosto de 2017

Resenha: Métrica - Colleen Hoover

Título: Métrica
Série: Slammed #1
Autora: Colleen Hoover
Editora: Galera Record
Número de páginas: 304
Ano: 2013
Gênero: New Adult
Avaliação: 5/5

"Métrica" é o primeiro livro da trilogia "Slammed", e nele conhecemos Layken, uma jovem de 18 anos que perdeu o pai recentemente e muda de estado com sua mãe e seu irmão. Logo no início do livro é perceptível toda a dor e o sofrimento que a personagem principal tem enfrentado; todo o luto, a tristeza por ter deixado o lugar que sempre chamara de lar e toda a responsabilidade que colocava sobre si em relação a Kel, seu irmão mais novo. 
Entretanto, ao chegar em sua nova casa, Lake conhece Will, seu vizinho de 21 anos. Imediatamente sente-se atraída por ele, sem saber que haveriam outros empecilhos em seu caminho que dificultariam que um relacionamento se concretizasse. 

Colleen Hoover é uma autora incrível, e não deixou a desejar na escrita de "Métrica". Primeira coisa que sinto que preciso ressaltar nessa resenha é toda a carga poética que o livro possui. Will escreve poesias e, logo no início do livro, somos apresentados ao slam. Pra quem não sabe (como eu não sabia até começar a leitura), slam é um encontro de poesia falada, geralmente em forma de competição, onde cada júri dá uma nota ao poeta que se apresenta. Eu achei isso incrível e, ao longo da narrativa, várias poesias são apresentadas, todas conseguindo tocar o leitor de uma maneira singular.
"E daí que a dor sobre a qual você escreveu ano passado não é o que você está sentindo hoje? Pode ser exatamente o que a pessoa na primeira fila está sentindo. O que você está sentindo agora, e a pessoa a quem suas palavras talvez afetem daqui a cinco anos - é por isso que se escreve poesia."
Além disso, algo que gostei muito no livro é como não é um romance superficial. Mesmo que os personagens sintam uma conexão logo ao se conhecerem, sua relação é desenvolvida levando em conta todos os aspectos da vida de cada um: toda sua bagagem emocional, todos os seus problemas e todos os seus medos; absolutamente tudo é levado em consideração pela autora.
"Neste momento, não sou capaz de compreender como deve ser ter o coração partido de verdade. Se eu sentir uma dor apenas um por cento mais forte do que a que já sinto agora, abdico do amor. Não vale a pena."
Os demais personagens que fazem parte da vida de Lake, como Eddie (sua melhor amiga), Kel (seu irmão mais novo) e Julia (sua mãe) também são muito desenvolvidos. A autora fez com que se criasse afeição por todos eles e conseguisse fazer com que o leitor sentisse cada uma de suas dores.
É uma narrativa muito fluída e que conseguiu me emocionar muito (até porque, se não conseguisse, não seria Colleen Hoover). Só tenho um pouco de medo em relação às sequências; acho que o livro teve o desfecho que merecia aqui, e sinto certo receio de as continuações acabarem não me agradando tanto como o primeiro livro. Mas como já disse anteriormente: CoHo é uma autora incrível, então confiarei na capacidade dela de produzir sequências tão incríveis e impactantes como "Métrica" foi.
"Às vezes, a vida fica no meio do caminho. Fica totalmente no meio do seu maldito caminho. Mas ela não fica totalmente no meio do seu maldito caminho por querer que você desista e deixe que assuma o controle. A vida não fica totalmente no meio do seu maldito caminho só porque quer que você deixe tudo nas mãos dela e seja levado por ela.A vida quer que você lute. Que aprenda a fazer uma vida sua."

8 de agosto de 2017

Tag: Feitiços Literários

Oi, gente!

Hoje vou responder à tag Feitiços Literários. Ela foi criada pelo canal Turtle Sympathy, traduzida pelo Leitora Voraz e fui indicada pela Claudia e pela Lorena do blog Preguiça Literária.

Expecto Patronum - um livro de infância relacionado com boas lembranças;

O Meu Pé de Laranja Lima, de José Mauro de Vasconcelos.
O livro conta a história de Zezé, um menino de 6 anos que vem de uma família pobre e trabalhadora que se muda por conta das dificuldades. Em sua nova casa, Zezé descobre que há um pé de laranja lima no quintal, com o qual conversa todos os dias acerca de tudo o que acontece em sua vida, inclusive o fato de não receber tanto carinho e atenção dos seus pais. É um livro lindo e bem curtinho! Recomendo a todos, principalmente aos que não têm o hábito de ler e gostariam de começar.

Expelliarmus - um livro que te surpreendeu

A Cidade do Sol, de Khaled Hosseini.
Comecei o livro sem muitas expectativas, mas acabou se tornando um dos meus preferidos! Se passa no Afeganistão e, inicialmente, conta a história de Mariam, uma adolescente de 15 anos que é forçada a se casar com Hashid, com pouco mais de 45. O livro vai mostrando toda sua trajetória com seu marido, que a trata com hostilidade e violência.
A segunda parte conta a história de Laila, 19 anos mais nova que Mariam. A garota, aos 14 anos, torna-se a segunda esposa de Hashid contra sua vontade. Dessa forma, as histórias de Laila e Mariam entrelaçam-se e é descrito todo o sofrimento que passam em uma sociedade onde as mulheres não têm voz.

Priori Incantatem - o último livro que você leu

O Projeto Rosie, de Graeme Simsion.
O livro conta a história de Don Tillman, um pesquisador e professor de genética de 39 anos. Ele decide que quer se casar, então distribui um questionário com o intuito de encontrar a esposa perfeita. No entanto, acaba conhecendo Rosie, que não se enquadrava nem um pouco no que ele esperava para uma parceira compatível... Mas isso, é claro, não seria empecilho algum.
Me diverti bastante durante a leitura! O Don é cheio de manias e com dificuldades de interagir socialmente, o que tornou algumas cenas bastante engraçadas.

Alohomora - um livro que te fez abrir as portas para um gênero anteriormente desconhecido.

Caixa de Pássaros, de Josh Malerman.
É um thriller psicológico em que há criaturas que não podem ser vistas, pois o simples contato visual com elas faz com que uma pessoa enlouqueça e fique com vontade de se suicidar. A protagonista Malorie busca proteger a si mesma e a seus dois filhos em meio a esse mundo perigoso e assustador onde maior parte das pessoas já tinha falecido em virtude das criaturas.
Admito que fiquei um pouco decepcionada com o fim desse livro, pelo fato de não ter sido tão esclarecedor como eu esperava. Contudo, é uma leitura muito instigante, e não tive vontade de parar até terminar. Nunca tinha lido um livro de terror antes, mas esse definitivamente fez com que eu tivesse mais interesse no gênero.

Riddikulus - um livro engraçado que você tenha lido.

O Segredo de Emma Corrigan, de Sophie Kinsella.
Amo os livros da Sophie Kinsella, e esse não poderia ser diferente. Durante a turbulência do avião em que estava, a protagonista Emma Corrigan revela todos os seus segredos ao homem sentado a seu lado, devido ao desespero em que tinha entrado por achar que iria morrer. Entretanto, o avião desembarca em segurança e Emma conforta-se com a ideia de que, ao menos, nunca mais veria aquele homem novamente. Descobre, porém, que ele era nada mais, nada menos do que fundador da Corporação Panther, onde ela trabalha.

Sonorus - um livro que você acha que todos deveriam conhecer.

Amor Amargo, de Jennifer Brown.
Conta a história de Alex, que está no último ano do Ensino Médio e prepara-se para fazer uma viagem com seus dois melhores amigos, Bethany e Zach, até o Colorado. Tudo estava muito bem... até Cole aparecer.
Acho que abordar relacionamento abusivo nos livros é algo MUITO importante, e deveria ser uma temática lida por todos justamente para que as pessoas consigam reconhecê-la no dia a dia. Muitas vezes, certas atitudes estão tão enraizadas que as pessoas tendem a naturalizá-las, mas o importante é que se saiba que isso não é normal e precisa ter um fim. Além disso, o fato de ver tudo o que acontece sob a perspectiva da vítima faz com que se tenha mais empatia e menos julgamento com quem sofre com isso na vida real.

Obliviate - um livro ou spoiler que você gostaria de esquecer que leu.

Não consigo me lembrar de nenhum agora... Faz muito tempo que não recebo spoilers de livros (ainda bem, porque ninguém merece), e já li vários livros que não gostei tanto ou que não atenderam às minhas expectativas, mas não gostaria de esquecer que li nenhum. Acho que a gente pode tirar um aprendizado de qualquer livro (até mesmo dos que não gostamos tanto), o que já faz a leitura valer super a pena.

Imperio - um livro que você precisou ler para a escola.

O Alienista, de Machado de Assis.
Eu adorei esse livro! Conta a história de Simão Bacamarte, um psiquiatra que retorna à sua cidade natal depois de formado. Ele funda um sanatório e, ao longo da narrativa, interna diversas pessoas de sua cidade que julga serem insanas, mesmo que todos ao seu redor pensem o contrário. Gostei muito do desfecho e foi meu primeiro contato com o autor. Muito bom!

Crucio - um livro que foi doloroso de ler.

O Diário de Anne Frank.
É uma história real e se passa durante a Segunda Guerra Mundial, quando Anne Frank, de 13 anos, passa a descrever em seu diário todo o medo que ela e sua família sentiam por serem judeus. A leitura se tornou ainda mais dolorosa por saber que isso tudo tinha, de fato, acontecido. É um livro incrível!

Avada Kedavra - um livro que pode matar.

Um Caso Perdido, de Colleen Hoover.
Gente, a Colleen tem se tornado uma das minhas autoras preferidas e sinto que minha missão como leitora aqui na Terra é enaltecê-la até não poder mais. Sério, os livros dela são maravilhosos! Esse é meu livro preferido dela até agora, e é tanta reviravolta que você fica chocado e não consegue mais parar de ler. Não vou falar muito sobre o livro aqui pois a Rê escreveu uma resenha dele recentemente; se você quiser ler, clique aqui.

É isso, pessoal! Quem quiser fazer a tag, sinta-se à vontade. Espero que tenham gostado! Até o próximo post.



5 de agosto de 2017

Resenha: Um caso perdido

















Título: Um Caso Perdido
Série: Hopeless 1
Autor (a): Colleen Hoover
Editora: Galera Record
Páginas: 384
Ano: 2014


   Eu realmente não sei por onde começar essa resenha. Faz muito tempo que não resenho, mas confesso que tive uma vontade gigantesca de resenhar esse livro em especial. Quando me sinto marcada profundamente por um livro, desejo que outras pessoas o conheçam e se sintam envolvidas pela trama tanto quanto eu. Quero que elas sintam tudo o que eu senti e gostem tanto quanto eu. Por isso, eu recomendo de coração esse livro. Sério. 
   O livro conta a história de Sky, uma adolescente que foi adotada aos 4 anos de idade e que vive uma vida privada da escola (ela tem aulas particulares em casa), internet e outras tecnologias. Mesmo sem entender os motivos de Karen, sua mãe adotiva, Sky cresce aceitando tudo, até que um dia decide obter certa autonomia e consegue permissão para frequentar o último ano da escola. Porém nem tudo é o que parece e ter que "enfrentar" a nova vida, aprender a socializar e conhecer novas pessoas pode não ter sido uma boa ideia. 
   Sky conhece Holder. Holder conhece Sky. Ou reconhece Sky. Holder guarda segredos; muitos segredos. Sky tem um temperamento calmo, é introspectiva e não liga para o que os outros falam dela, mesmo sendo alvo de bullying pelas garotas da escola. Holder é misterioso, consegue deixar Sky confusa e, pela primeira vez, a garota não consegue reprimir seus sentimentos pelo sexo oposto; Sky se vê sentindo algo novo, algo que nunca havia sentido. 
   Eu li esse livro pela internet, e, sério, li muito rápido porque ele me prendeu totalmente. Eu queria conseguir expressar tudo o que ele me fez sentir, em cada capítulo, em cada revelação. 
   Colleen Hoover me fez ficar vidrada com uma narrativa em primeira pessoa, contada pela própria Sky. Os sentimentos e emoções da menina fazem qualquer leitor querer abraçar os personagens, chorar, rir e sofrer junto. 
   À medida que Sky conhece Holder, sua vida vai sendo revelada. Holder é um mistério; porém Sky é um mistério para si mesma também. "Às vezes, é preciso perder-se para se encontrar". Cada nova revelação mostra o quanto Sky é, foi e terá que ser forte. Todos os medos, todos os sentimentos guardados e aprisionados em gavetas dentro do coração da menina são abertos lentamente, e ela precisa lidar com tudo aquilo que não sabia que existia.  
   É fácil chorar com Hope, Sky, Less, Holder, Karen. É duro sofrer com a pequena Sky que tem medo de uma fechadura girando. De uma pequena Sky que aprendeu a contar estrelas como modo de sobrevivência. De uma pequena Sky que chora, que é triste. Mas também é surpreendente perceber o quão forte ela está se tornando, é gratificante perceber que Sky continua viva, forte e capaz de sobreviver a qualquer memória que apareça.
  Se eu pudesse te dar uma dica de leitura pra vida, seria esse livro. Eu juro. É uma lição de vida, é um ensinamento, porque "nem sempre as coisas são como parecem" e "cada ser é uma caixinha de surpresas".