Sobre nós

Seguidores

Curta!

Instagram

Twitter

Siga por e-mail

Eu leio Brasil

Meise está lendo

Isadora está lendo

Tecnologia do Blogger.

Link us

Viciadas em Livros

Arquivo do blog

3 de janeiro de 2014

Resenha: O silêncio das Montanhas - Khaled Hosseini


   Olá galera, feliz Ano Novo! Quero agradecer pelo apoio de todos, e desejar muuuuuito sucesso no ano de 2014. Muitos livros, muitas resenhas, e muita coisa boa haha.
   Para começar o ano muito bem, vamos conferir a resenha que fiz do livro "O silêncio das Montanhas".


Título: O silêncio das montanhas
Autor: Khaled Hosseini
Páginas: 352

“O tempo é como um encantamento. A gente nunca tem o quanto imagina.”

   Um romance épico que atravessa seis décadas, quatro países (Afeganistão, França, Grécia e Estados Unidos) e conta a história de dois irmãos, Pari e Abdullah. Separados na infância, eles passam a vida sentindo a ausência um do outro. Uma trama de amor, traição, solidariedade, egoísmo, relações familiares e sobre como as escolhas de cada um influenciam gerações.

Minha opinião: ganhei esse livro no Amigo Secreto Literário aqui do blog, e quero agradecer muuuuuito a Thaynara, do blog Livros com Bolinhos, que me deu o exemplar que eu tanto queria. Obrigada Thay, eu amei!
   Khaled adora criar histórias dramáticas e envolventes; ele conta histórias de pessoas, de vidas, conta da dor das mesmas, das decepções, das alegrais e frustrações. Com “O silêncio das montanhas” não foi diferente.
   O livro inicia-se no ano de 1952, e narra a história de Pari e Abdullah, dois irmãos que moram no Afeganistão – mais precisamente numa aldeia fictícia chamada Shadbagh. Por causa das dificuldades encontradas pelo pai deles, ele vende Pari e os irmãos se separam (vale ressaltar que Pari tem menos de quatro anos e Abdullah é o mais velho).
   O livro é dividido em nove capítulos e cada um narra a história de um personagem que tem e/ou teve ligação com um dos irmãos. Em cada capítulo conhecemos a história de um personagem, e as histórias são tocantes e emocionantes; podemos ver, por exemplo, a vida toda de Pari, desde o momento que passa a morar na casa dos pais adotivos, Nila e Suleiman Wahdati (que nunca confessaram que ela fora comprada), até o momento da sua velhice.
   A magia está justamente nesses saltos temporais que o autor explora, juntamente com a apresentação de novos personagens em cidades e épocas distintas. É incrível conhecer a vida de Nabi, Nila, Markos, Thalia... e tantos outros personagens maravilhosos! Todavia as histórias não são independentes: como já citado, os personagens que aparecem simultaneamente tem ligação com os personagens principais (Pari e Abdullah) e cada conto nos mostra o parentesco – de maneira indireta – entre os mesmos.
    O que vale mesmo é o aprendizado que adquirimos no final do livro; é um livro que reúne histórias de encontros, desencontros, perdas, conquistas, ódio, amor, rancor, perdão, inveja, ciúmes...

Contexto: Cada capítulo nos mostra um contexto diferente. Como já citei, cada capítulo narra a vida de um personagem que tem ligação com a vida de Pari e/ou Abdullah.
   A história se passa ao longo de 60 anos, e em vários países: Afeganistão, Estados Unidos, Grécia e França. Por isso cada capítulo nos apresenta um contexto variado e, dependendo do mesmo, abre espaço para a introdução da nova narrativa.
   Khaled conseguiu criar um enredo totalmente diferente e extremamente dinâmico: personagens secundários e terciários parecem tomar conta da história, todavia percebemos quem são os personagens principais logo no começo.
   Somos envolvidos pelos temas que Khaled usou e os contextos dos mesmos, como política, guerras, a invasão dos talibãs, a realidade de pessoas que vivem e/ou viveram no Afeganistão, pobreza, fome...

Técnica: Khaled usou uma técnica que eu simplesmente adoro nos livros: cenas detalhadas minuciosamente. Embora em alguns capítulos isso não fazia-se tão necessário, o autor mostrou-se criativo e inusitado.
   Na sua escrita, o autor esbanjou uma técnica que diverge daquelas que ele usou ao escrever “A cidade do sol” e “O caçador de Pipas”, criando capítulos que iam desde falas entre personagens até cartas imensas. Uma coisa que gostei muito foi o fato de ele ter intercalado os narradores: ora quem narrava era o eu lírico, ora o personagem daquele capítulo, ora ainda um terceiro. É fácil perder-se se não houver atenção.

Produção editorial: A capa do livro é simplesmente linda, a fonte e a cor que foram usadas no título são simples e isso torna a capa ainda mais bonita. A cor da lombada é vermelha, o que combinou muito com o livro. A diagramação é boa, embora a fonte seja um pouco pequena (mas isso não dificulta a leitura). As folhas são amareladas – acredito que a maioria dos leitores prefere dessa cor. Todavia, não gostei da contracapa, visto que não contém a sinopse do livro –  a encontramos na orelha do livro. O que existe lá são comentários de revistas e jornais famosos (como o “The Times”), sobre o livro.

Quotes: “Dizem que a gente deve encontrar um propósito na vida e viver esse propósito. Mas, às vezes, só depois de termos vivido reconhecemos que a vida teve um propósito, e talvez um que nunca se teve em mente.  E agora que havia realizado o meu propósito, eu me sentia sem rumo e sem objetivo.”


"Aprendi que o mundo não via o seu interior, não se importava com as esperanças, os sonhos e as tristezas que pudessem existir sob a pela e os ossos. Era simples assim, absurdo e cruel."
   
“É uma coisa engraçada, Markos, mas normalmente as pessoas veem a coisa ao contrário. Elas pensam que vivemos pelo que queremos. Mas o que as conduz é o que elas temem. O que elas não querem.”




8 comentários:

  1. Gostei bastante do formato da sua resenha, muito boa mesmo, eu não conhecia esse livro, mas me interessei bastante por ele, é o tipo que eu gosto e vou colocar na minha estante do Skoob para comprar futuramente!

    Estandy Books - A Estante Da Andy

    ResponderExcluir
  2. Oie :)

    Esse livro está me chamando muito a atenção por vários motivos, e o principal deles é o fato de que, é do mesmo autor de O Caçador de Pipas. Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Hey! :)
    Já conhecia este título e cheguei a vê-lo em uma livraria por aqui onde moro. Vendo o nome do autor, uma curiosidade já é despertada.
    Ótima resenha!
    P.S.: Como se pronuncia Abdullah?

    Abraços!
    Vini - Um Jovem Leitor/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Vinicios! Eu pronuncio normal, como leio... haha, li um vídeo resenha e a autora pronunciou da mesma maneira. Mas enfim, né?
      Beijos,
      Renata

      Excluir
  4. Só ouço as pessoas tecerem elogios sobre este livro... Alguma hora vou acabar lendo, mesmo não tendo gostado de O Caçador de Pipas (parei na página 45).
    Abraço,
    Vinícius - Livros e Rabiscos

    ResponderExcluir
  5. Obrigado pela visita e pelas palavras motivadoras, Renata! Saiba que é revigorante saber que o que escrevo serve para fazer as pessoas refletirem, se emocionarem e até mesmo se aproximar um pouco mais de Deus!

    Agradeço por sua disposição em orar por minha mãe! Isso é muito importante nesse momento.

    Deus realmente tem falado muuuito comigo! Tenho o sentido bem perto, sabe? A presença de Deus e do Espírito Santo (o Consolador) é o que não nos deixa parar de crer no milagre! E eu prossigo crendo!

    Agradeço por tudo o que disse aqui no coment!

    Bjs

    P.S.: Já li "O Caçador de Pipas" e "A cidade do Sol" (meu livro favorito, inquestionavelmente). Ganhei "O silêncio das montanhas" de Natal e só estou esperando as coisas acalmarem para começar a ler. Bjs (de novo)

    gotadenanquim.com/

    ResponderExcluir
  6. Não parece ser o tipo de leitura ao qual estou acostumada, contudo, temos algo em comum, também adoro o detalhamento das cenas elas permitem que possamos imaginar e tornar tudo quase real.

    Amei a resenha.

    Beijos.
    http://livrosporumbeijo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi adorei sua resenha...mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda ela traz o universo de fundo..abraços. www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem..busca.livrariasaraiva.com.br/saraiva/Reverso
    www.buqui.com.br/ebook/reverso-604408.html

    ResponderExcluir

A leitura é uma porta aberta para um mundo de descobertas sem fim. - Sandro Costa

Obrigada pela visita. Sinta-se a vontade para dar sugestões, fazer críticas ou elogios!